Blog do Maikel Marques
buscar postagens | buscar por data
Quinta-feira, 22/12/2016 - 17h25
Compartilhe
A velha e famigerada indústria da seca em Alagoas está muito viva

Deixei Santana do Ipanema quando tinha 15 anos. Era dezembro. Era verão. Fazia muito calor. A paisagem estava “devastada”: quase nenhuma vegetação, barreiros (reservatórios) secos, gado com sede e com fome. E o sertanejo? Àquela época, sonhava com melhor infraestrutura para convívio com o fenômeno climático que devasta a região há séculos.

Regressei à terra-natal dezenas de vezes, principalmente quando exercia meu ofício em Arapiraca. Durante 8,5 anos, atuei como repórter e chefe de reportagem da Sucursal Arapiraca, da Gazeta de Alagoas. Entre uma viagem e outra, a velha constatação: nenhuma vegetação, reservatórios vazios, gado com sede e com fome. E o sertanejo?

Regressei à terra-mãe, mais uma vez, no último dia 15, desta feita a trabalho como assessor de imprensa. À exceção do crescimento demográfico, deparei-me com a mesma agrura da “devastada” paisagem. Tudo seco. Reservatórios rachados, trincados. Gado esquálido. Uma tristeza.

80% dos municípios de Alagoas estão em situação de calamidade. Na Gazeta desta quinta-feira, Niviane Rodrigues informa que R$ 157 milhões seriam necessários para as medidas emergenciais para atenuar o sofrimento dos nossos conterrâneos, durante a estiagem. Mais uma vez, espera-se o envio do capilé a partir do cofre central.

Como de praxe, parte dos legisladores que Alagoas enviou a Brasília se reuniram para discutir a questão. Utilizar-se-ão, creio eu, do prestígio político de que desfrutam para viabilizar a liberação da grana com a qual a indústria da seca se movimentará. Refiro-me, principalmente, ao custeio do  serviço de transporte de água portável aos menos favorecidos.

Daqui a um ano, a gente volta ao assunto. Tenho fé. A situação será outra. Melhor? Pior?

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Quinta-feira, 22/12/2016 - 16h39
Compartilhe
Inaugurada livraria no Shopping Pátio Maceió; visitem-na!

Depois de silencioso hiato, volto para dizer que a Companhia dos Livros inaugurou livraria no Shopping Pátio Maceió. Ontem, conferi alguns dos títulos à disposição da clientela. Há variedades. O movimento estava intenso inclusive após às 23h, quando passei por lá. É importante destacar que o estabelecimento é o único do gênero na periferia da paradisíaca capital alagoana. Outra livraria funciona no Shopping Parque Maceió. 

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Sexta-feira, 10/6/2016 - 00h02
Compartilhe
Rede Nobel vai inaugurar livraria no Arapiraca Garden Shopping

O passo inicial foi dado para a instalação da maior rede de livrarias do Brasil, no Arapiraca Garden Shopping. O contrato que possibilita a instalação da Nobel, a primeira livraria de Arapiraca, no primeiro shopping do interior alagoano, já foi assinado.

O projeto administrativo segue e em breve será divulgada a data prevista par a inauguração da loja, que ampliará oferta de produtos e serviços no shopping. Com essa novidade, o público do agreste alagoano vai poder experimentar um conceito diferente de livraria; a Rede Nobel é um centro de entretenimento e cultura que oferece produtos de diversos segmentos.

“Ver chegando ao Arapiraca Garden Shopping uma marca como a Livraria Nobel, que se preocupa também com uma estrutura que preza pelo enriquecimento cultural das pessoas, é de uma satisfação enorme. O conhecimento abre as portas para o futuro e o shopping está sempre disposto a contribuir com essa ideia”, avalia o superintendente do Shopping, Leandro Lourenço.

Além de livros, a rede oferece produtos no segmento de papelaria, informática, games, jogos de tabuleiro, revistaria, entre outros. A rede de livraria Nobel existe há mais de 70 anos no mercado, sendo reconhecida pela qualidade dos produtos, atendimento diferenciado e prestação de serviços.

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Quinta-feira, 17/3/2016 - 01h02
Compartilhe
Bosque em Defesa da Vida agoniza e está quase morto, na Ufal

O Bosque em Defesa da Vida, criado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), para simbolizar as vítimas da violência, está quase morto. A área não recebe manutenção desde novembro de 2015. As árvores não são regadas, muitas das placas que identificam os homenageados e contam suas respectivas histórias estão caídas e a altura do capim esconde as que ainda estão de pé.

O espaço deixou de receber a devida manutenção quando do fim do convênio com a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) de Alagoas, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira pela assessoria de Comunicação da Universiadade Federal de Alagoas (Ufal).

Familiares de vítimas da violência em Alagoas, além de professores, cobraram da reitoria da Ufal a manutenção do espaço.  Para Olga Miranda, cujo pai é desaparecido político desde 1979, a criação do local foi uma felicidade para a família. 

“Jaime Miranda, meu pai, não tem corpo para a gente velar, então o fato de ter uma árvore com o nome dele é muito simbólico e representativo para nós. Fiquei muito feliz pela Ufal se preocupar conosco e por Alagoas se lembrar de um alagoano”,avisou.

O vice-reitor da Universidade Federal de Alagoas, José Vieira, prometeu tomar providências.

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Quinta-feira, 17/3/2016 - 00h59
Compartilhe
Governo Federal reconhece potencial turístico de Arapiraca

O Ministério do Turismo (MTur) reconheceu o potencial turístico de Arapiraca, no Agreste de Alagoas. De acordo com nova metodologia de avaliação, a cidade está inserida na categoria B do turismo brasileiro. Ao todo, 50 cidades alagoanas aparecem no mapa nacional do turismo. Os destaques locais continuam sendo Maceió e Maragogi, no Litoral Norte.

Arapiraca está no mesmo time de Maragogi, segundo mairo destino turístico de Alagoas. Em sua página na internet, o MTur não traz, infelizmente, informações detalhadas sobre o número de leitos nem tampouco sobre a lotação média dos hotéis da metrópole agrestina. 

A cidade tem, aliás, hotéis de tudo o que é nível e compatível com tudo o que é padrão de exigência. Um exemplo do quão promissora é a atividade turística da cidade: a redente inauguração de uma filial da rede Ibis, presente nos quatro cantos do planeta.

Arrisco dizer: de segunda-feira a quinta-feira, os hotéis de Arapiraca "bombam". Estão quase sempre com elevada taxa de ocupação de leitos graças ao turismo de negócios, que sempre foi muito próspero e vem se desenvolvendo com bastante força nos últimos anos.

Salvo engano, a taxa de ocupação hoteleira de Arapiraca  decresce nos finais de semana, ao contrário do que ocorre em Maragogi, na região Norte. O reconhecimento do MTur ao pontecial turístico de Arapiraca é a oportunidade para que haja maior incentivo ao segmento.

Dos critérios nacionais para garantir a junção de 3.345 municípios com potencialidade turística, o número de estabelecimentos formais do setor de hospedagem é, em minha opinião, um dos principais responsáveis pela inserção de Arapiraca na rota do turismo nacional.

Atualmente, a pasta do Turismo está atrelada à Cultura.  Num futuro próximo, poderia ganhar independência. Ou não?

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Quarta-feira, 13/1/2016 - 15h22
Compartilhe
Litro de gasolina já custa R$ 3,99, em alguns postos de Maceió

Maikel Marques
marques.jornalista@gmail.com

Ontem, depois de inúmeros anúncios dizendo que o litro da gasolina chegou aos R$ 3,99, achei uma publicidade vendendo o combustível a R$ 3,52. Barato não estava. Aproveitei a "promoção" e abasteci o tanque do possante, mas sem compreender o porquê da carestia.

É cartel? É esperteza? Qual a explicação? Aumento da alíquota do ICMS pelo Governo das Alagoas não houve. Aumento do produto na origem (refinaria) também não houve. Houve? Será consequência do aumento do salário mínimo, nobres empresários? É o que?

É o dólar! É o euro! É o que?

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Terça-feira, 24/11/2015 - 02h51
Compartilhe
"Vida Boa": deliciosas histórias contadas pelo Bartolomeu Barros
Imagem / Maikel Marques
Vida Boa é o primeiro livro do santanense Bartolomeu Barros

Vida boa. Isso mesmo. Vida boa

Eis  o título do primeiro livro do senhor Bartolomeu Barros, santanense, empresário, considerado, não apenas pelo filho Francisco José Aquino Barros, mas por centenas de sertanejos, “um exímio observador do comportamento geral das pessoas ao seu redor”. Pois bem.

Deparei-me com a obra do Seu Bartolomeu sábado, quando inicial visita à Bienal Internacional do Livro de Alagoas, organizada pela Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal), onde dei meus primeiros passos jornalísticos, como estagiário, no final da década de 90.

Atraído pelo título, sugestivo e certeiro, por retratar o bom-humor e a altivez de seu autor, caminhei até a prateleira onde outras obras do SWA Instituto, do editor José Fontes Malta Neto, o Malta Net, estavam - e ainda estão - expostas.

Peguei um dos exemplares. Abri-o. Virei a primeira página. Parei na “orelha”. Conferi o conteúdo, escrito pelo filho do autor. Interessei-me pelo que viria nas páginas seguintes: diversas histórias, em formato de crônica, sobre personagens da vida santanense. 

Aleatoriamente, abri o livro na página 89. Reconheci a personagem: Seu Leuzinger Alves de Melo, meu avô paterno. Rapidinho, li o resumo sobre a vida e o legado do “trabalhador, atencioso, muito econômico, competente e dedicado” Leuzinger Alves.

Algumas das histórias resgatadas pelo Bartolomeu rapidamente ressurgiram em minha mente, principalmente aquelas relacionadas ao uso racional de recursos hídricos e energéticos, numa época em que fornecimento de água e de luz era precaríssimo.

Enfim, o livro inicial do Seu Bartolomeu traz muito mais. Conta a história do Doutor Adelson e seu macaco prego, do José Arrais Onofre, do eterno servente, do gênio santanense e de tantos outros que deixaram sua marca na vida da comunidade santanense.

“Ele (Bartolomeu Barros) já está preparando o segundo livro”, avisou-me o editor José Fontes Malta Neto, fomentador cultural e “pai” de uma infinidade de títulos de autores alagoanos, incluindo os santanenses, já lançados ou na iminência do lançamento. 

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Terça-feira, 19/5/2015 - 16h44
Compartilhe
Por que sua vida está em risco caso precise de leito de UTI em Alagoas?

Maikel Marques
marques.jornalista@gmail.com

Atenção, cidadão residente em Alagoas!

Se você não tiver plano de saúde e precisar de internação urgente em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), são grandes as chances de sua vida ser abreviada por causa da ausência de leitos para assistência pelo SUS.

Nos links postados abaixo, você compreende melhor a situação. São um resumo de reportagem publicada domingo, no caderno de Cidades da Gazeta de Alagoas.

1. Faltam leitos em UTIs de Alagoas

2. Diárias de pacientes é de R$ 1,5 mil

3. Maioria dos internos no HGE é do interior

4. Estado só tem 45 médicos intensivistas

5. Número de vagas disponíveis está abaixo do ideal

6. País perdeu 189 mil unidades em 18 anos

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
1


Lamentável essa situação. Existe algo sendo feito para resolver isso w
Lucas Carnaúba de Oliveira
São Paulo
advogado
 
 
Quinta-feira, 07/5/2015 - 08h16
Compartilhe
Você já comprou o presente de sua mãe? Não? Ainda não? Por que?

Maikel Marques
marques.jornalista@gmail.com

Fui, ontem, ao centro para dialogar com consumidores que percorriam lojas diversas em busca dos presentes para suas mamães.

Ouvi muitas histórias interessantes, dentre as quais a de uma mãe que costuma se presentear porque não gosta de presentes tradicionais.

"Costumo me presentear", contou-me, mostrando bolsa moderna. Seus filhos não devem presenteá-la com panelas, fogão, por exemplo.

Deparei-me com outra mãe acompanhada do esposo e da filha de dez anos. A filha escolheu os presentes e o pai pagou a conta.

"Vim escolher o que queria ganhar", contou-me. De um gerente de loja de sapatos, outra declaração interessante.

"Percebo que os filhos geralmente mandam a mulher ou namorda comprar o presente da mãe dele e da sogra também". 

Reforçamos: todo dia é dia de mãe, mas o comércio comemora a data no próximo domingo. Não se esqueça!

Mais no caderno de Cidades da Gazeta, edição de hoje.

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
Quinta-feira, 23/4/2015 - 07h00
Compartilhe
Vereadores de Delmiro debatem causa de mancha escura, sexta

Maikel Marques
marques.jornalista@gmail.com

O Poder Legislativo de Delmiro Gouveia promove, nesta sexta-feira (24), às 10h, audiência pública para debater as causa da "mancha escura" que apareceu nas águas do Rio São Francisco.

"Face à grandiosidade do caso" - diz trecho do convite oficial enviado pela assessoria de imprensa do Legislativo - entidades e repesentantes dos poderes constituídos estão convocados para o debate.

Importante reforçar: a "mancha escura" ocupou 28 quilômetros de extensão, no leito do lago de Xingó, formado pelo represamento das águas do Velho Chico pela Usina de Xingó, entre Alagoas e Sergipe.

A liberação de material orgânico das barragens de duas usinas da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), em Paulo Afonso (BA), "despertou" material orgânico "aodrmecido" no fundo do  São Francisco.

Resultado da "proliferação algal": mancha escura.

A direção da Chesf nunca disse concordar com a explicação do IMA de que a mancha tenha sido provocada pela liberação dos efluentes (resíduos) das duas barragens, depois de esvaziamento para limpeza.

Que o debate no Legislativo de Delmiro seja esclarecedor.

Espera-se!

Tô no Twitter: @maikelmarques

 


 
MANIFESTE SUA OPINIÃO SOBRE A POSTAGEM
   
Nome * E-mail *
Profissão * Cidade, Estado e País *
Comentário:

Caracteres restantes: 1000
CAPTCHA Image
Digite o código:
Obter outra imagem
0


 
 
1 | 2 | 3 | Próximos » | Últimos »»
 
 
As últimas do Blog
'Do 1º de abril ao 1º de maio! Descobrir ou terceirizar o Brasil?'
Cadeirantes pedem apoio ao MP para fiscalizar lojistas de Maceió
Depois do pedido de licença, brinde utilíssimo destinado à dona da casa!
Catadores de resíduos driblam atravessadores, pela primeira vez
O cliente tem sempre razão, certo? Nem sempre! Nem sempre mesmo!
No Extra, em Maceió, garoto tão perto e tão distante da tecnologia
Dependente da nicotina diz não ser exemplo para filho adolescente
Capacidade de distribuição de água só cresceu 2,2%, em cinco anos
É preciso agendar sepultamentos em cemitérios públicos de Maceió!
Para comer 4,5kg de carne, alagoano gasta R$ 67,05 por mês

Enquetes
Você sofre com escassez de água potável em sua residência?



Portal Maltanet

Facebook




Quem faz
Maikel Marques
É jornalista formado (MTB/AL 652) pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Está diretor adjunto de Comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL). É vencedor do Prêmio Braskem de Jornalismo 2013, na categoria Assessoria de Imprensa. Foi assessor de imprensa da Presidência do TJ, entre 2011 e 2012, e assessor de imprensa da Corregedoria Geral do TJ, entre 2009 e 2011. Esteve autor da coluna Integração entre 2003 e maio de 2014. Está repórter de Cidades /Economia, na mesma empresa em que esteve editor executivo de Cidades, entre 2008 e 2010. Exerceu a Chefia de Reportagem da Gazeta de Alagoas (Sucursal Arapiraca), entre 2000 e 2008. Em 2005, venceu o Prêmio Banco do Brasil/Petrobras de Jornalismo, na categoria Reportagem..
marques.jornalista@gmail.com

Fernando Lopes
Designer gráfico em Arapiraca (Agreste), assina a concepção visual da nova versão deste blog.
nando_scorpions@hotmail.com

Cheops Malta
Desenvolvedor WEB em Santana do Ipanema (Sertão), é responsável pelo sistema de publicação de informações e imagens.
cheopsmalta@gmail.com

Parceiros
Clique aqui e visite nossos parceiros